Gastroplastia NÃO é milagre!!!

Quem vai pra mesa de cirurgia pensando que seus problemas vão acabar após a grastroplastia se engana e muito…

Pra falar a verdade os seus problemas vão começar no momento em que você sai da anestesia, uma vez que você continua com todos os sentidos (olfato, tato, paladar e audição). E pior que os sentidos tem a memória, só de você sair da mesa de cirurgia sabendo que nem água você poderá tomar num período de 24h já vai te fazer ter vontade de sentir aquela água bem fresquinha tocando sua boca. Se você tiver a sorte que eu tive, vai ter uma pessoa no seu quarto sem nenhuma restrição alimentar, e exatamente 1h após chegar no quarto chega um apetitoso filé à parmegiana pra sua vizinha de cama, e você faz como? Olha, sente o cheiro e nem pode sair de lá porque você ainda está grogue. Após um dia só botando água na boca pra enxaguar a pasta de dente, o hospital te oferece (sarcasmo modo on) a deliciosa gelatina, o chá e a maravilhosa água com sal, porque é isso que temos que tomar. Ah sem falar que já podemos tomar água, gatorate e água de coco, mas a água parece uma bomba atômica quando toca o seu estômago…

Esse discurso todo é para que vocês saibam que cirurgia alguma vai te livrar da obesidade psicológica, o seu estômago é minúsculo, mas a sua mente é enorme a ponto de te fazer sonhar que está comendo um BIGMAC completo em plena dieta líquida, sentir o seu sabor a cada mordida e quando você acorda se sentir satisfeita.

Eu digo que a minha maior inimiga é a minha mente, ela me “manda” comer as coisas, mas quem decide sou eu, as vezes faço escolhas erradas aí tenho que correr atrás do prejuízo na academia, outras vezes eu venço a vontade e me sinto menos culpada, mas com muita vontade de comer besteiras… Agora por exemplo estou tomando um chá de hortelã, mas a minha vontade é atacar um saquinho de doritos que deixei de comprar hoje de manhã quando fui ao supermercado…

APRENDA:

– Sua cabeça é obesa mesmo o seu corpo sendo magro!!! Não deixe ela te dominar senão você volta à estaca zero, ou seja, vai pesar cento e poucos quilos novamente!!!

– Sua vida sempre foi feita de escolhas, mas agora o negócio é sério, se você não fizer a escolha certa, todo o sofrimento da cirurgia terá sido em vão!

Anúncios

Desde o Dia da Cirurgia Até a Alta

Olá pessoinhas,

Deixei pra escrever assim que eu estivesse bastante recuperada e sem o maldito do dreno… Aqui vai um compacto de notícias desde o dia da internação até a alta hospitalar…

gastroplastia
Quinta-Feira (30/07) – Cheguei ao hospital com minha mãe por volta das 9h30, assinamos os papeis de internação e seguimos para o quarto, já no quarto a enfermeira veio fazer as perguntas de praxe (quanto pesa, toma remédios, tem algum tipo de doença…). Por volta de 12h15 a enfermeira veio no quarto dizendo que já estavam me esperando no Centro Cirúrgico, lá vou eu pro bloco do bundão de fora (usando aquela camisola sem nada por baixo), chegando à sala de preparação fizeram o acesso, tomei a primeira injeção de anticoagulante (é na barriga e não doe quase nada, ela arde um pouco depois de injetada), logo depois fui levada pra sala de cirurgia que ainda estava vazia, a enfermeira colocou os medidores de batimento cardíaco, pressão e oxigênio, logo depois chegou a anestesista Dra. Maria Luiza Miayesi Barra (esposa do meu cirurgião) começou a preparar o anestésico, aí chegou o Dr. Juliano, eu perguntei pra ele se sairia mesmo no domingo, ele disse que se tudo corresse bem sim, depois disso eu apaguei.
Por volta de 15h45 acordei ainda na sala de cirurgia muito grogue e escutei as enfermeiras falando alguma coisa sobre a bomba de PCA, uns 10 minutos depois fui levada para a sala de recuperação um pouco melhor, um anestesista veio me perguntar como eu estava, se eu tinha náusea ou frio, eu disse que não e que se poderiam avisar a minha mãe que eu estava bem
16h30 eu já estava totalmente acordada e conversando com as enfermeiras, até que elas me disseram que eu voltaria pro quarto as 18h (2 horas antes do previsto – já que eu estava bem) o que eu adorei porque eu ia poder ver a minha mãe e meu noivorado.
As 18h05 fui pro quarto querendo andar pra melhorar os malditos gases, a enfermeira disse que não podia então só andei da maca pra cama, uma hora depois Dr. Juliano passou no quarto pra me ver eu fiz questão novamente de perguntar pra ele sobre a minha alta, e ainda brinquei com ele dizendo que dessa vez tinha testemunhas pra comprovar a data (rsrs) depois disso não me lembro de muita coisa, acho que devo ter dormido…

Sexta-Feira (31/07) foi um dia muito bom, eu já estava com pouca dor no corte, tomei banho sozinha e já fiz uma pequena caminhada pelo corredor, Dr. Juliano disse que depois das 12h eu poderia começar a tomar líquidos (água água de coco e gatorade). Vou falar a verdade a primeira vez que você toma água parece que está caindo no estômago uma bola de ar enorme, que fica quicando até dissolver os gazes.

Sábado (01/08) Dr. Douglas é quem veio me visitar (Dr. Juliano tinha uma viagem na sexta-feira e não poderia desmarcar, desse modo eu fiquei a cargo da equipe de médicos que operam com ele) dizendo que ele liberaria o caldo salgado, chá e gelatina. Como todos sabem caldo de hospital é horrível, mas eu me esforcei pra tomar a fim de testar o estomaguinho, tomei o caldo, a gelatina e o chá e nenhum voltou!!!

Domingo (02/08) esse foi o melhor dia de todos, foi o dia que tive alta, Dr. Douglas passou no meu quarto por volta das 7h15 e as 7h30 eu já estava de alta só esperando a enfermeira tirar o dreno da cicatriz (é ficamos com dois drenos um do lado esquerdo inferior e outro bem no finzinho da cicatriz que é tirado assim que recebemos alta hospitalar), vim pra casa toda feliz, afinal eu ia poder dormir na minha cama…

Chegou o dia!!!

Olá, é hoje o dia da cirurgia, e eu como estou? Com medo mas tranquila (se é que isso é possível), bom eu estou sentindo um mix de sentimentos, vou dar entrada no hospital as 10h da manhã e minha cirurgia ocorrerá as 13h, tudo vai correr maravilhosamente bem, afinal estou nas mãos de médicos e equipe competentes, o hospital então nem se fale, é referência em Piracicaba.

Espero que a UNIMED tenha liberado a bomba de PCA (controle da analgesia, dando a possibilidade de auto-injetar uma quantidade maior da droga quando sentir dor, em volumes e tempos pré-programados pelo médico), e espero também que eu não precise usá-la.

Bom gente, por hoje é só, agradeço a todos os  votos de sorte, e até domingo ou segunda que é quando eu terei alta!!!

Até mais,